top of page
  • Foto do escritorAnula Multa

Como saber qual o momento certo de trocar os caminhões da frota?

Atualizado: 14 de ago. de 2023

Aqui em nosso blog, sempre falamos sobre como é importante fazer uma boa gestão da frota de veículos da empresa. Com um controle completo de todas as informações relacionadas, por exemplo, às multas de trânsito, recursos de multas e pontuação dos motoristas, é possível diminuir os custos, aumentar a produtividade e evitar transtornos, como ter colaboradores com a CNH suspensa.


Mas uma administração eficiente da frota de veículos também passa por outras questões importantes, detalhes que um bom gestor sempre precisa estar de olho. Por exemplo: se sua empresa trabalha com transporte de cargas ou operações de logística e frete e, para isso, tem uma frota de caminhões. Como saber qual é o momento certo de trocar um caminhão – ou mesmo a frota inteira – da sua empresa?


É claro que adquirir novos veículos irá gerar um gasto alto naquele momento. Mas, no longo prazo, trocar a frota de caminhões no momento certo é fundamental para trazer mais segurança e conforto aos motoristas e, o mais importante, evitar gastos e maximizar a produtividade da sua empresa. Um bom gestor deve saber que existem despesas que são feitas hoje para evitar custos ainda maiores no futuro!


Quer saber, então, qual é o momento certo para investir na troca de caminhões da frota da sua empresa? Continue acompanhando o texto.


Fórmula mágica?


A primeira coisa que você precisa saber é que, infelizmente, não existe uma “receita de bolo” ou fórmula mágica para você saber se precisa ou não trocar os caminhões da sua frota. Ou seja, não espere encontrar algo do tipo: “se seus caminhões já estão rodando há X anos e se estão gastando Y reais por mês, você precisa trocar a frota o mais rápido possível”.


Seria muito mais fácil se houvesse algo do tipo, mas é impossível passar uma fórmula que funcione em 100% dos casos. Cada empresa tem a sua realidade, os seus desafios, os seus planos para o futuro.


O que existe, e é sobre isso que vamos falar daqui para frente, são vários fatores e indicativos relacionados à frota de caminhões que um gestor precisa monitorar na hora de tomar essa decisão. O ideal é que todos esses fatores sejam analisados em detalhes, colocados na ponta do lápis e combinados com a situação e o contexto da sua empresa. Assim, será possível tomar decisões assertivas sobre a troca ou não da frota de seus veículos.


Principais fatores a se considerar


Para ajudar você nesta tarefa, vamos apresentar abaixo os 6 principais fatores a se analisar para saber qual é o momento certo de trocar os caminhões da sua frota.


O fator número 1 são os custos de manutenção. A parte boa é que, para este fator, existe sim uma fórmula mais objetiva que pode ajudar neste acompanhamento. No geral, recomenda-se que os gastos com reposições ou revisões, em um ano inteiro, não ultrapassem mais do que 20% do valor do veículo. Essa não é uma regra fechada, que funciona em todos os casos, mas é um número que pode dar uma boa base para você entender se os custos de manutenção de determinado veículo estão elevados ou não.


É importante, porém, que você faça um controle mais detalhado de quais são exatamente os custos de manutenção de determinado veículo. Afinal de contas, existem diferentes tipos de manutenção: as preditivas e preventivas, que são feitas antes de um problema acontecer, e as corretivas – essas, sim, não são planejadas e costumam gastar muito mais. Como um bom gestor, você precisa saber se os gastos elevados de um veículo em determinado ano foram causados por manutenções preventivas ou por problemas em seu funcionamento. Isso muda tudo na hora de tomar uma decisão sobre a troca ou não do veículo!


O fator número 2 é a quilometragem. Mesmo que os custos de manutenção ainda não estejam altos, um caminhão com uma quilometragem muito elevada tende a se desgastar mais. Ou seja, a tendência é que os gastos com manutenção comecem a subir. Antecipar-se a esse problema e trocar os caminhões com quilometragem alta pode ser uma ótima pedida.


O fator número 3 é a depreciação do veículo no mercado. E os gestores precisam de muita sabedoria ao analisar este fator. Se, por um lado, a desvalorização dos veículos costuma desacelerar após dois ou três anos da compra (o que indica que trocar a frota com muita constância não compensa), veículos com muitos anos de uso normalmente gastam mais com peças (que ficam mais difíceis de serem achadas) e com seguro. Separe um tempo para colocar todos esses valores na ponta do lápis e entenda o que faz mais sentido para sua empresa.


Bom, esses três primeiros fatores são bem mais objetivos: custos com manutenção, quilometragem do veículo e depreciação no mercado. Tudo isso pode ser calculado sem muita dificuldade. Mas será que são apenas esses indicadores que devem guiar um gestor nesta decisão?


Fatores mais complexos


A resposta é não! Porque existem outras questões que um bom gestor deve analisar na hora de decidir se deve ou não trocar sua frota de caminhões. E esses fatores são mais subjetivos, digamos assim. Eles exigem um conhecimento profundo do momento da sua empresa, dos objetivos para o futuro e de quais investimentos fariam sentido ou não. Vamos dar três exemplos abaixo!


Seguindo a nossa ordem, o fator número 4 é a sustentabilidade. Mesmo que não exista um valor exato a se calcular, ser uma empresa com um selo de ambientalmente responsável, que busca reduzir seus impactos no planeta, tem muito valor para os negócios e para a sociedade como um todo.


O fator número 5 é a padronização dos processos e da imagem da sua empresa. Por exemplo: ter uma frota de caminhões do mesmo fabricante e modelo é importante para padronizar procedimentos entre os colaboradores e diminuir o custo com peças de reposição – que podem ser compradas em maior quantidade e com maiores descontos. E existe também um fator relacionado à publicidade e marketing, já que esta padronização ajuda sua empresa a ter uma mesma identidade visual que será exibida aos seus clientes e, de forma geral, aos motoristas que estão nas entradas.


Por fim, o fator número 6 são as perspectivas de crescimento do seu negócio. Talvez seus caminhões não estejam antigos ou nem estejam gastando muito com manutenção. Mas e se uma troca na frota proporcionar novas tecnologias e mais eficiência para você expandir sua atuação no mercado? E se modernizar seus caminhões hoje significar que você poderá transportar outros tipos de carga, que são oportunidades estratégicas para seu negócio? Em uma gestão eficiente da frota, todas essas perguntas precisam ser respondidas na análise!


Considere tudo isso e se planeje!


Além desses seis fatores, poderíamos ainda citar alguns outros: os gastos de combustível, o desgaste das peças, a baixa performance do caminhão, o surgimento de boas oportunidades...


O mais importante, porém, é que um bom gestor esteja atento a todas essas condições e faça uma análise profunda, não só das condições da frota atual como dos objetivos do seu negócio. Considere as opções que estão disponíveis, coloque tudo no papel, convide seus colegas de empresa para a conversa e tome decisões que façam sentido para as necessidades da sua frota!


E para ajudar neste trabalho de gestão de frotas, que é sempre tão complexo e envolve tantos fatores, ter uma solução que o ajude é fundamental. A Anula Multa possui um gerenciador de multas que facilita a gestão das multas de trânsito e ajuda a diminuir os gastos com multas NIC através da indicação de condutor 100% digital.


Quer conhecer mais sobre nossa solução de gestão de multas? Então agende hoje mesmo uma demonstração gratuita!






55 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page